• Geração de Empregos

Notícias

29/03/2019 11:00

Ações do Governo do Estado transformam mobilidade urbana de Salvador

Nos últimos anos, o sistema de transporte da capital baiana tem passado por grandes mudanças. O metrô entrou em funcionamento, os trens do subúrbio vão ser substituídos pelo Veículo Leve de Transporte (VLT) e uma nova Estação Rodoviária será construída. Somada a estas intervenções, os corredores estruturantes, com conclusão total prevista para 2020, promoverão um grande salto de qualidade na mobilidade urbana da cidade de Salvador.

O metrô ajudou a reduzir o tempo de deslocamento. Com duas linhas, o sistema vai da Estação da Lapa ao bairro de Águas Claras, passando pelo Acesso Norte, e chega até o Aeroporto de Salvador, integrado às linhas de ônibus. Hoje, a operação já está completamente adaptada à rotina dos moradores.

VLT

Novos projetos dão continuidade às mudanças na mobilidade de Salvador. O VLT é um sistema com cerca de 20 quilômetros de extensão e composto por 22 estações, que vai ligar a região do Comércio de Salvador à Ilha de São João, em Simões Filho.

Já o novo Terminal Rodoviário de Salvador será construído em Águas Claras, próximo à BR-324, sendo integrado ao tramo 3 da linha 1 do metrô e a um terminal urbano de ônibus. Ele será moderno, amplo e estará nos moldes de conforto de terminais de aeroportos.

Corredores Estruturantes

A Linha Azul e a Linha Vermelha são corredores transversais construídos para ligar a Orla Atlântica ao Subúrbio Ferroviário. Juntas, as vias somam 32 quilômetros de extensão e recebem recursos de aproximadamente R$ 1,47 bilhão. As ligações foram divididas em etapas distintas, envolvendo trechos completamente novos e duplicações. Além da pavimentação asfáltica, os sistemas são compostos por viadutos, elevados, túneis, pontes, acessibilidade e urbanismo.

A Linha Azul começa pela Avenida Pinto de Aguiar, na Orla Atlântica, e segue por 12 quilômetros, passando pela Avenida Gal Costa, que será duplicada, e pela nova ligação entre os bairros de Pirajá e Lobato. A Linha Azul tem pista dupla, dividida em três faixas de tráfego em cada sentido, incluindo um corredor exclusivo em condições de operar pelo sistema BRT (Bus Rapid Transit). Quatro — dos oito túneis presentes no projeto — já foram concluídos.

A obra, que envolve investimento total de R$ 647 milhões, está 63% finalizada. Quando concluída, irá se configurar como uma das maiores avenidas de Salvador, junto com a Paralela (18 quilômetros, inaugurada em 1974) e a Suburbana (14 quilômetros, inaugurada em 1971).

A Linha Vermelha, por sua vez, faz a ligação entre a orla, na altura de Piatã, com Paripe, por meio da BR-324. O primeiro trecho, já finalizado, foi a duplicação da Avenida Orlando Gomes até a Avenida Paralela. O segundo, que também já foi inaugurado, com recursos da ordem de R$ 78 milhões, segue da Paralela até a Aliomar Baleeiro (Estrada Velha do Aeroporto) e foi batizado como Avenida 29 de Março.

A 29 de março ainda será complementada, com trecho ligando a Estrada Velha à Via Regional e inauguração prevista para abril de 2019. A duplicação desta via até o bairro de Águas Claras, por sua vez, é o terceiro estágio de obras. A quarta e última fase é a ligação de Águas Claras à BR-324, que já foi entregue e está em funcionamento. No total, esse sistema viário possui 20 quilômetros de extensão. O recurso previsto é de R$ 581,5 milhões, sendo R$ 295 milhões da Avenida 29 de Março.

Fonte: Com informações da Secom/BA

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.